domingo, 9 de novembro de 2008

Cuide de mim por hoje
Alimente minhas feridas
E meus vicios
Compre bebida quando eu estiver
Sobrio
E deixe que eu durma perto
Da sua carne quente
Depois de te ver limpar
Toda a maldita sujeira
Que eu fiz pela casa
E então bebado demais
Para balbuciar algo compreensivel
Eu irei dizer – te amo.
E você dira que eu sou
Só mais um bebado tolo
E o seu sorriso me diz
Que ao acordar
Iremos ao bar mais proximo
De mãos dadas
Para aguentar a solidão.

2 comentários:

Priscilla Boscariol disse...

poema de bebado ;[

Gabriel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.